Facebook
Email
Facebook
Email
Nova Playlist

NOS Discos

Barreiro Rocks
Barreiro Rocks
2010
Tracklist
  1. The Ballyhoos - Chained
  2. Tracy Lee Summer - White Panties
  3. The Act-Ups - Alive Again
  4. Fast Eddie & The Riverside Monkeys - Bending Spoons
  5. Nicotine's Orchestra - Oh Night!
  6. POW! – Danger Mouse
  7. The Sullens - Body Bag Party
  8. Singing Dears - Circus In Me
  9. Los Santeros - If You Mess With Los Santeros You'll Find Out How Stupid You Are
Deambulando por ruas recheadas de prédios velhos e digníssimos, ruas recheadas de associações com história antiga, de chapelarias transformadas em sala de concerto e centro de boémia, Nick Nicotine, que é vocalista dos Act-Ups e dos Ballyhoos, que “é” a Nicotine’s Orchestra e, genericamente, um dínamo de agitação constante, disse-me certa vez: “a existência de personagens é uma das marcas do Barreiro”. Personagens: gente que se destaca entre a multidão, que ignora ou desdenha este ar dos tempos que tanto puxa para a banalidade do politicamente correcto e do “parecer bem“. Gente que, de alguma forma (habitualmente exuberante), deixa marca.

 As personagens do Barreiro, vim a perceber, não surgem por acaso. O Barreiro que foi grande centro industrial e que criou comunidade operária que se agrupava em comunidade - não haverá cidade com tanta associação e tanto clube por esquina -, ainda mantém esse espírito de pegar nas coisas em mãos e fazer acontecer. Este Barreiro que vi então, não quer ser outra coisa senão aquilo que é. Sem manias de se imaginar Nova Iorque ou Londres, e despido da tendência para o queixume e a comiseração que, por vezes, parece estar inscrita na genética deste país. E por isso as coisas acontecem mesmo. E por isso também, as personagens de que fala Nicotine, que existem desde lá atrás no tempo, desde pelo menos Crooner Vieira, antigo vocalista de big band que é agora mestre de cerimónias do festival Barreiro Rocks (ouvimo-lo nesta colectânea a apresentar os tresloucados Los Santeros), não se limitam a fazer parte da paisagem. Constroem-na activamente. Tudo isto para falar de rock'n'roll? Sim, porque isto também é o que dá origem ao rock'n'roll que ouvimos nesta compilação.

Todos aqueles que ouvimos nestas canções têm um conhecimento enciclopédico e vivido da música que, algures nos anos 1950, um locutor de rádio no sul dos Estados Unidos anunciou ao mundo, provavelmente enquanto se preparava para passar o fundador "Rocket 88" de Jackie Brenston and his Delta Cats (na realidade, Ike Turner sob pseudónimo). Todos eles sabem da soul de Wilson Pickett e Otis Redding (ainda não esquecemos a explosiva versão de "Land of the 1000 Dances", pelos Act-Ups, num Barreiro Rocks de há muitos anos), todos passaram os portões de Folsom com Johnny Cash, todos beberam a boémia e o excesso de mitologia de Jeffrey Lee Pierce, dos Gun Club, todos sabem, porque todos ouviram o "garage" da década de 1960, que rock'n'roll tem de ser urgência selvagem polvilhada com as doses recomendadas de inocência (não corruptível, nunca corruptível). Sabem, pormenor essencial, que esta música tem de ser uma festa, mas montam-na segundo as suas próprias regras: "Raw Power!", como gritou Iggy certo dia.

E então nascem os Act-Ups, uma máquina de singles imparável que se trauteia e se dança com fervor.  E daí a tão deliciosa quanto diabólica guitarra fuzz dos Ballyhoos ou o blues que Fast Eddie & The Riverside Monkeys transformam em matéria incendiária. Daí a soul fantasmagórica da Nicotine's Orchestra, o stomp garageiro dos Singing Dears, as convulsões sónico-narcóticas dos POW! e a "punkalhada" áspera dos The Sullens e Tracy Lee Summer.

Este Barreiro que aqui ouvimos, "a capital do garage rock em Portugal", como escreveu em tempos a gente de uma webzine espanhola, tem perfeita noção que o rock'n'roll não é, como foi em décadas passadas, uma vertigem de loucura e criatividade no coração da cultura popular urbana. Ou melhor, tem perfeita consciência que ainda é exactamente isso, mas que só significa algo hoje, ainda, operando nas margens - o centro, o malfadado mainstream é um sítio demasiado previsível e aborrecido.

Rock'n'roll é resistência e acção. Uma espinha encravada na garganta do aborrecimento e do formatado mundo moderno. Os rock'n'rollers barreirenses que aqui ouvimos são celebração de vida e tresloucada fantasia. Veja-se Los Santeros. Quem mais imaginaria uma banda de mexicanos, beberrões incuráveis, amantes da "fiesta" e do riff bem medido, que escolhem o Barreiro, ano após ano, como porto de abrigo obrigatório?

Personagens, dizíamos. Daquelas que não deixam ninguém indiferente. Daqueles que fazem porque sim e porque não sabem fazer de outra forma. Barreiro? Rock!

Mário Lopes, Agosto de 2010

Alinhamento

1 - The Ballyhoos - "Chained" - www.myspace.com/theballyhoos
2 - Tracy Lee Summer - "White Panties" - www.myspace.com/tracyleesummer
3 - The Act-Ups - "Alive Again" - www.myspace.com/theactups
4 - Fast Eddie & The Riverside Monkeys - "Bending Spoons" - www.myspace.com/fasteddienelson
5 - Nicotine's Orchestra - "Oh Night!" - www.myspace.com/nicotinesorchestra
6 – POW! – “Danger Mouse” - www.myspace.com/powbanda
7 - The Sullens - "Body Bag Party" - www.myspace.com/thesullens
8 - Singing Dears - "Circus In Me" - www.myspace.com/singingdears
9 - Los Santeros - "If You Mess With Los Santeros You'll Find Out How Stupid You Are - www.myspace.com/lossanteros

Músicos

The Ballyhoos - "Chained" - Mamma Iola – Bateria; Nick Nicotine - Voz + Guitarra; Johnny Intense - Guitarra
Tracy Lee Summer - "White Panties" - Jimmy Headrix – Guitarra; Captain Death – Voz; Tom Violence - Bateria
The Act-Ups - "Alive Again" - Pistol Pete – Bateria; Tony Fetiche – Baixo; Johnny Intense - Guitarra Fuzz; N Very – Guitarra; Nick Nicotine - Voz + Guitarra
Fast Eddie & The Riverside Monkeys - "Bending Spoons" - Fast Eddie Nelson - Voz + Guitarra; Jack Meager – Baixo; Mongo Basher – Bateria; Nick Nicotine - Teclas - Nicotine's Orchestra - "Oh Night!"
Nick Nicotine - Vozes + Guitarras + Percussão + Teclas
POW! – “Danger Mouse” - João Teixeira – Guitarra; Fábio Mateus – Bateria
The Sullens - "Body Bag Party" - Zuzu Mamou - Voz + Guitarra; Shark Skin Charles - Baixo + Voz; Little Johnny Jewel - Guitarra + Voz; Hell – Bateria; Rick Cavalera - Guitarra
Singing Dears - "Circus In Me" - 19 - Voz + Guitarra; 10 – Guitarra; 08 – Baixo; 77 - Bateria
Los Santeros - "If You Mess With Los Santeros You'll Find Out How Stupid You Are" - Crooner Vieira - Crooning + Apresentação; Nickie Santero - Voz + Guitarra; Chicken "Birdie" Joey - Baixo + Voz; Fast "Eddie" Nelson - Bateria

Gravação e Mistura

Todos os temas gravados e misturados por Nick Nicotine no Estúdio King, Barreiro, entre Maio de 2008 e Julho de 2010, excepto o tema de Los Santeros, gravado ao vivo em Portugal.

Artwork

Tó Trips

Contactos

barreirorocks@gmail.com